Philippe Bernold começou os seus estudos musicais em Colmar, na França, dedicando-se à flauta, à composição e à direcção sob a orientação de René Matter, aluno de Charles e Fritz Münch.
Frequentou depois o Conservatório de Paris, onde ganhou o primeiro prémio em flauta. No ano seguinte, aos 23 anos, foi nomeado primeira flauta da Orquestra Nacional de Ópera de Lyon. Em 1987, ganhou o Primeiro Prémio no Concurso Internacional Jean-Pierre Rampal em Paris. Com este prémio iniciou uma carreira como solista, actuando com artistas e orquestras de renome mundial, destacando-se M. Rostropovitch, JP Rampal, M. Nordmann, a Orquestra de Paris, a Orquestra F. Liszt de Budapeste, a Orquestra Manchester Hallé, a Tapiola Sinfonietta, a Orquestra Nacional de Lyon e a Orquestra Sinfônica de Quioto. Maestros com quem trabalhou incluem S. Bychkov, JE Gardiner, L. Maazel, K. Nagano, Sir Y. Menuhin, M. Inoué, T. Koopman. Apresentou-se em salas como o Royal Festival Hall em Londres, Pleyel Hall e Chatelet Theatre em Paris, Philharmonie de Colônia, Filarmônica de Varsóvia, Bunka Kaikan em Tóquio, Seoul Art Center, Conservatório de Tchaïkovsky em Moscou, e nos festivais de Aix-en-Provence, Cannes, Evian, Estrasburgo, Rádio França.

Direcção de Orquestra
Philippe Bernold regressou à direcção de orquestra em 1994, fundando "Les Virtuoses de l'Opéra de Lyon" com o incentivo dos maestros John Eliot Gardiner e Kent Nagano. O conjunto ganhou rapidamente uma reputação devido ao seu alto nível.

Bernold foi então nomeado maestro assistente da "Orquestra da Bretanha". Desde então, foi convidado a realizar concertos com a Sinfonia Varsovia em Lisboa, Bilbao, Valência, Nantes e Varsóvia, a Orquestra Nacional de Ópera de Lyon, Baden Baden Philharmonie, "Ensemble Orchestral de Paris", Orquestra Filarmónica de Marselha Orquesta da Ópera de Toulon, Kanazawa Ensemble (Japão), "Bucheon Philharmonic" (Seul), Orquestra Sinfónica de San Remo, Orquestra de Câmara de Genebra, Orquestra Filarmónica de Janacek, Cappella Istropolitana, com quem é o primeiro maestro. Em Caracas, (Venezuela) Philippe dirigiu a famosa "Orquestra Simón Bolívar" (diretor musical: Gustavo Dudamel).

Philippe Bernold é professor de música de câmara e flauta no Conservatoire National Supérieur de Musique de Paris.