Natalie Schwaabe é das poucas flautistas internacionalmente reconhecidas que, como solista, em música de câmara, músico orquestral e pedagogo, lançaram o Piccolo como instrumento versátil e virtuoso.
Nascida em Tóquio, ela passou a sua infância e juventude em Hong Kong, onde começou a sua educação musical na Academia de Artes Performativas de Hong Kong. Passando por Londres, onde se formou na "Purcell School", Natalie Schwaabe chegou a Munique, iniciando os seus estudos com o Prof. Paul Meisen na Universidade de Música e Teatro, acabando os seus estudos com o “Meisterklassen Diplom”.
Em 1996, Natalie Schwaabe recebeu o prémio honorário do júri no "Concurso Internacional de Primavera de Praga" e foi laureada no "Concurso Internacional Carl Nielsen" em Odense, na Dinamarca.
Aos 21 anos, Natalie Schwaabe começou a sua carreira de orquestra como flautista solo com a Orquestra Sinfónica de Munique.
Três anos depois, mudou-se para a Orquestra da Rádio de Munique. Em 1996, entrou para a Symphonieorchester des Bayerischen Rundfunks como flautista e piccolista.
Como membro desta orquestra única, Natalie atuou com músicos de renome mundial como Mariss Jansons, Sir Simon Rattle, Carlos Kleiber e Andris Nelsons.
Natalie Schwabe toca regularmente com outras orquestras como a Orquestra de Câmara da Europa. Além da atividade orquestral, a música de câmara desempenha um papel decisivo; Juntamente com o pianista Jan Philip Schulze e colegas da sua orquestra, Natalie Schwaabe desenvolve e apresenta programas de música de câmara com foco especial em trabalhos incomuns e contemporâneos. O Piccolo é sempre colocado no centro dos programas de concerto. A maneira inconfundível de Natalie Schwabe de tocar este instrumento levou a numerosas composições dedicadas a ela. Desde 1998 é docente na Hochschule für Musik und Theater em Munique, Alemanha. Além disso, dá masterclasses na Alemanha, Áustria, Itália e Coréia do Sul. Natalie Schwaabe toca um piccolo de Jochen Mehnert.